24/06/2011 - 16:21 - Atualizado em: 24/06/2011 - 16:21

Diretor chileno diz que cinema é testemunha fundamental da história

News-image

Rio de Janeiro, 24 jun (EFE) - O cinema, além de entretenimento, é uma "testemunha fundamental da história", disse nesta sexta-feira o diretor chileno Luis R. Vera, que lamentou que as produções da América Latina estejam restritas aos cinemas de menor porte pela grande indústria.

"Temos a necessidade urgente de resgatar nossa memória, nossa identidade", disse à Agência Efe Vera, que recebeu uma homenagem do 18º Festival Ibero-Americano de Cinema e Vídeo (Cinesul), realizado no Rio de Janeiro.

O cineasta explicou que o fato de um país dispor de um legado cinematográfico próprio é "tão importante quanto um plano de saúde ou de habitação" e denunciou que as grandes produtoras e distribuidoras estão encurralando o cinema latino-americano.

"Temos um cinema de alta qualidade, técnica e esteticamente", assegurou o diretor, que defendeu "uma rebelião" contra o sistema multiplex dos cinemas de shoppings onde são exibidos apenas grandes sucessos de Hollywood.

Vera aproveitou a ocasião para destacar nomes como o do brasileiro Walter Salles, diretor de "Diários de Motocicleta" e do argentino vencedor do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro Juan José Campanella ("O Segredo dos Seus Olhos").

Diretor, produtor e roteirista, o chileno participa do festival com diferentes trabalhos realizados ao longo de sua carreira - entre eles o documentário "La Independencia Inconclusa", uma co-produção com nove países da América Latina que retrata os processos de independência e a história recente da região.

Até o próximo domingo, o Cinesul 2011, realizado em diferentes centros culturais do Rio, exibirá cerca de 230 produções de vários países.