UOL Entretenimento Cinema
 
21/09/2011 - 17h21

Almodóvar afirma que voltará a filmar uma comédia

  • O diretor espanhol Pedro Almodóvar participa da entrega dos prêmios Goya no Palacio de Congresos em Madri, na Espanha (14/2/2010)

    O diretor espanhol Pedro Almodóvar participa da entrega dos prêmios Goya no Palacio de Congresos em Madri, na Espanha (14/2/2010)

Roma, 21 set (EFE).- O cineasta espanhol Pedro Almodóvar revelou nesta quarta-feira que já tem dois novos projetos em fase avançada e que um deles é uma comédia, com a qual busca satisfazer os pedidos do público que sente falta de seus filmes de humor.

"Na Espanha as pessoas me pedem que eu faça uma comédia. Há senhoras que me param nas ruas e me dizem: 'Olha, Pedro, seus filmes dos anos 2000 nos agradaram, mas quando você vai fazer outra comédia?'. A boa notícia é que um desses dois projetos é uma comédia. Finalmente", disse o diretor.

Durante a entrevista coletiva em Roma para a apresentação de seu último trabalho, "A Pele que Habito", protagonizado pelos atores espanhóis Antonio Banderas e Elena Anaya, o diretor negou que seu papel durante as filmagens esteja acima das exigências da produção.

"Tenho idéias muito precisas que peço a todos que colaboram comigo. Preciso que me acompanhem nessas decisões. Isso é próprio de um diretor que assume a autoria e a responsabilidade de saber se gosta ou não do filme e se ele funciona no mercado", explicou Almodóvar.

O cineasta esteve na capital italiana acompanhado por Elena e Banderas, um de seus atores favoritos com quem voltou a trabalhar depois de 21 anos. "Se eu morrer amanhã, muito embora isso deva acontecer daqui a 20 anos, aconteça o que acontecer, serei lembrado como um ator que fez seis filmes - por enquanto - com Pedro Almodóvar", destacou Banderas.

O ator espanhol disse que "a maioria das coisas que me aconteceram com Pedro foram maravilhosas. Vivi a experiência de um homem que quebrou as regras do jogo do cinema espanhol como estavam até então. Para mim foi uma experiência mais próxima da ruptura artística e da criatividade pura. 21 anos depois, acho que esse motor não morreu, mas segue se expandindo".

Quando perguntado sobre como é trabalhar com o cineasta espanhol, Banderas afirmou que "graças a Deus" não é fácil e que "A Pele que Habito" é, um dos filmes que mais o fizeram refletir sobre cinema, pois assim como em "A Lei do Desejo" (1986) e "Ata-me" o diretor dá "um salto no vazio".

Além disso, Banderas acrescentou que percebeu uma mudança no estilo de Almodóvar "Está mais minimalista nas formas, mais austero, mais limpo, e com um conteúdo mais sério e profundo", considerou.

Almodóvar, que baseia seu último filme na história de um cirurgião plástico obsessivo pelo seu trabalho, defendeu este ramo da medicina, mas acredita que a identidade do indivíduo sempre estará acima dos progressos dessas cirurgias.

O cineasta prefere levar às telas rostos mais expressivos do que plásticos, mas ressaltou que um nariz operado só não é possível em um filme de época, sendo perfeitamente aceitável nos anos 2000.

Veja mais

Siga UOL Cinema

Sites e Revistas

Arquivo

Hospedagem: UOL Host