27/10/2011 - 15h52

Cineasta João Amorim diz que "capitalismo nos levou à beira da ruína"

<a href=http://noticias.uol.com.br/ultnot/efe/><img src=http://n.i.uol.com.br/ultnot/home/efe.gif border=0></a>

Valladolid (Espanha), 27 out (EFE).- "O capitalismo global nos levou à beira da ruína", afirmou o cineasta João Amorim, autor do documentário "2012: Tempo de Mudança", que conta entre seus protagonistas com o cantor Sting e o diretor David Lynch.

O filme, que aposta em uma mudança global no modo de ver o mundo, será exibido na Semana Internacional de Cinema de Valladolid (Seminci), na sessão Tempo de História.

Amorim explicou nesta quinta à Agência Efe que essa mudança deverá ocorrer "por meio de um alinhamento com a natureza e o uso de princípios socialmente mais justos".

O jornalista Daniel Pinchbeck é o narrador do documentário, que também contou com a participação de rostos conhecidos como a atriz Ellen Page.

Para Amorim, indicado aos prêmios Emmy e especialista em animação e documentário, os protestos que estão surgindo em diversas cidades do mundo fazem parte dessas mudanças que deverão surgir devido ao colapso do "capitalismo global".

O financiamento foi um dos impedimentos que seu trabalho enfrentou, já que Amorim teve que reduzir "drasticamente seu orçamento" após começar a produzir o filme, afirmou o diretor, que considerou que o atual momento de crise desperta o interesse por seu documentário.

Inspirado no livro "2012, O Retorno de Quetzalcoatl", o projeto nasceu em 2006 quando o diretor leu esta obra escrita por Daniel Pinchbeck.

"No início eu era cético, mas após ler o livro me identifiquei com a ideia de que todas as crises que vivemos - econômica, militar e ambiental - são da consciência humana", concluiu Amorim.