09/11/2011 - 18h03

Diretores de filme com Camila Pitanga defendem cinema independente no Amazonas Film Festival

<a href=http://noticias.uol.com.br/ultnot/efe/><img src=http://n.i.uol.com.br/ultnot/home/efe.gif border=0></a>
  • Cena de "Eu Receberia as piores notícias dos seus lindos lábios", de Renato Ciasca e Beto Brant

    Cena de "Eu Receberia as piores notícias dos seus lindos lábios", de Renato Ciasca e Beto Brant

Manaus - Os diretores do filme "Eu Receberia as Piores Notícias dos seus Lindos Lábios", que participa da oitava edição do Amazonas Film Festival, defenderam nesta quinta-feira em Manaus um cinema independente e feito sem interesses comerciais.

"Não ganharemos dinheiro com essa produção, mas estamos felizes pois fizemos o filme que desejávamos", afirmou Renato Ciasca, que trabalhou ao lado de Beto Brant.

O drama narra um triângulo amoroso entre uma ex-prostituta (Camila Pitanga), um pastor (Zécarlos Machado) e um fotógrafo (Gustavo Machado) de passagem pelo interior da Amazônia. O filme encerrou a mostra competitiva do festival, que termina nesta quarta-feira (9) com a cerimônia de entrega dos prêmios.

Ciasca afirmou que a falta de compromissos com patrocinadores permite uma maior experimentação. Ele disse também que a produção foi feita com flexibilidade em relação ao roteiro original para dar mais naturalidade às interpretações. "Eu Receberia as Piores Notícias dos seus Lindos Lábios" é baseado no livro do escritor Marçal Aquino.

Já Beto Brant explicou que o filme proporciona múltiplas interpretações por parte do público. "Cada um vai sentir de acordo com seus sonhos", disse o diretor.

A ideia é que após o festival de Manaus, a produção seja exibida no Festival de Cinema Iberoamericano de Huelva, que começará no dia 19 de novembro, na Espanha. O filme chegará aos cinemas em 2012.

Ao todo, foram exibidos 33 filmes no Amazonas Film Festival. O presidente de honra do evento é o diretor Fernando Meirelles ("Cidade de Deus").