UOL Entretenimento Cinema
 
02/09/2007 - 13h56

Richard Gere pede boicote às Olimpíadas contra abusos no Tibet

NOVA YORK (Reuters) - Richard Gere vai atrás de um criminoso de guerra bósnio em seu mais recente filme, mas na vida real o ator budista está perseguindo abusos a direitos humanos na China e diz que um boicote às Olimpíadas de Pequim pode ajudar.

Gere, presidente da Campanha Internacional pelo Tibet, disse à Reuters que os Jogos Olímpicos de Pequim em 2008 são uma boa oportunidade para encorajar a China a acabar com abusos contra direitos humanos e permitir que a região do Himalaia decida seu próprio futuro.

No mês passado, milhares de tibetanos marcharam em Nova Délhi e Nova York pedindo por um boicote às próximas Olimpíadas.

"Um boicote geral para mim certamente tem valor; provavelmente não é prático, mas emocionalmente certamente faz sentido", disse Gere, de 58 anos.

"Por que o mundo deve recompensar pessoas que são obviamente tão más com seu próprio povo, tão más com outros povos?".

"No mesmo sentido, encorajamento é realmente importante", disse ele em uma entrevista para promover o filme "The Hunting Party".

O vencedor do Globo de Ouro, ator de sucessos como "Uma Linda Mulher", há tempos foi proibido de visitar a China devido a seu apoio ao Tibet.

A China controla o Tibet desde 1950 e cerca de 120 mil tibetanos estão exilados na Índia, incluindo o líder espiritual Dalai Lama.

A Anistia Internacional e outros grupos de direitos humanos dizem que o gigante asiático está restringindo severamente a liberdade do povo tibetano e suprimindo sua cultura. A China, por sua vez, alega que está ajudando uma região pobre a se desenvolver.

Compartilhe:

    Siga UOL Cinema

    Sites e Revistas

    Arquivo

    Hospedagem: UOL Host