01/06/2011 - 19h07

Em "Beginners", personagem de McGregor descobre que pai é gay

  • Ewan McGreggor (dir.) contracena com Christopher Plummer no filme "Beginners"

    Ewan McGreggor (dir.) contracena com Christopher Plummer no filme "Beginners"

Por Iain Blair

LOS ANGELES, EUA - O ator escocês Ewan McGregor atuou em filmes grandes e barulhentos como "Star Wars" e "Falcão Negro em Perigo" e em outros pequenos e tranquilos, como "O Escritor Fantasma" e "Emma".

Seu novo filme, "Beginners", chegará aos cinemas dos EUA na sexta-feira e é do segundo tipo. No filme, seu personagem fica perplexo quando descobre de repente que seu pai, viúvo de 75 anos representado por Christopher Plummer, é gay. McGregor falou com a Reuters sobre o filme.

Como você descreveria este filme?
Ewan McGregor:
São duas histórias entremeadas: a do filho encarando a sexualidade e a morte de seu pai, e a história do amor entre o filho e sua nova namorada.

Você deve receber uma tonelada de roteiros. É verdade que este roteiro lhe foi proposto quando você estava num teleférico de esqui?
Ewan McGregor: É verdade. O filme foi escrito e dirigido por Mike Mills, que fez "Impulsividade", e eu por acaso dividi um teleférico de esqui com seu agente, que me contou a história, e eu a adorei de imediato.

TRAILER DO FILME "BEGINNERS"

É verdade também que a história é baseada no pai de Mills na vida real?
Ewan McGregor: É. Seu pai ficou casado e feliz com sua mãe por 40 anos e então de repente anunciou que era gay, alguns anos antes de morrer de câncer. Poderia ter sido muito triste, mas na realidade é uma história doce e divertida.

Foi estranho representar uma espécie de versão de Mike Mills enquanto ele dirigia você?
Ewan McGregor: Isso me fez pensar bastante, mas nunca senti que eu tivesse que representar Mike Mills. Agora, é verdade que caprichei no sotaque e observei como ele se movimenta fisicamente. Ele e eu somos muito diferentes, mas gosto de pensar que também há muito de mim no personagem. Acho que o filme lida com temas universais, o amor e a morte.

Como foi trabalhar com Christopher Plummer? Alguma surpresa?
Ewan McGregor:  Eu não o conhecia pessoalmente antes, e, para falar a verdade, imaginava que ele seria muito mais antiquado. Ele conta ótimas histórias sobre Liz Taylor e Joan Collins e ele convive há tanto tempo com tanta gente incrível. Mas, quando atua, ele é muito contemporâneo e irônico. No set, porém, ele é superdivertido e descontraído.