UOL Entretenimento Cinema
 
26/10/2011 - 12h36

Johnny Depp fala de seu novo filme "The Rum Diary"

Reuters

Por Zorianna Kit

LOS ANGELES (Reuters) - Johnny Depp tirou uma folga da série "Piratas do Caribe" e escolheu um papel bem mais sutil para seu novo projeto: ele é o protagonista e produtor de "The Rum Diary".

O filme, que chega aos cinemas dos Estados Unidos na sexta-feira, é baseado no livro "Rum: Diário de um Jornalista Bêbado", de seu amigo Hunter S. Thompson.

Ambientado nos anos 1960, o filme conta a história do jornalista norte-americano Kemp, que viaja a uma ilha caribenha para escrever para um jornal local. Enquanto vive uma vida regada a rum, ele se apaixona pela bela noiva (Amber Heard) de um empresário desonesto (Aaron Eckhart).

Depp falou à Reuters sobre Thompson, que cometeu suicídio em 2005, de sua própria ligação com o Caribe e de seu próximo papel, o do índio Tonto em "The Lone Ranger".

P: Você e Hunter eram grandes amigos. De quem foi a ideia converter "Rum" em filme?

R: Foi dele. Encontrei o manuscrito na casa dele.

P: Qual foi o passo seguinte?

R: Hunter e eu tivemos muitas reuniões horrendas. Não estávamos acostumados a ter um trabalho enorme para levantar dinheiro. Ficávamos sentados com garrafas de Chivas (uísque escocês), e os potenciais financistas chegavam totalmente chocados e confusos.

P: Como você fez para manter o espírito de Hunter vivo no set?

R: Eu queria que o espírito dele permeasse o set e que todos soubessem que Hunter estava ali. Tínhamos a cadeira dele, com o nome dele. Tínhamos o roteiro, com o nome dele em cima. Tínhamos um garrafa de Chivas, com o copo e o balde de gelo. Tínhamos seus cigarros, seus filtros, seu cinzeiro.

P: Representar Hunter foi natural para você?

R: Quase natural demais!

P: Como vocês se conheceram?

R: Eu o conheci quando ele entrou na taverna Woody Creek, agitando uma pistola gigante de eletrochoque para gado e outra para humanos. Ele me convidou para ir à casa dele, e eu estava admirando uma arma com revestimento de níquel na parede da sala. Ele falou: "Quer atirar?"

P: E você, atirou?

R: Bem, era 2h30 da manhã... Então ele falou "vamos construir uma bomba!" Fizemos bombas com tanques de propano com nitroglicerina, levamos para o quintal e eu atirei em uma bomba. Ela explodiu, virando uma bola de fogo que subiu uns 25 metros no ar. Acho que aquilo foi minha iniciação.

P: Você filmou "Rum Diary" e os filmes "Piratas" em vários lugares do Caribe. Agora tem sua própria ilha no Caribe. Você sente uma ligação especial com esse lugar?

R: Sim, é um dos lugares mais receptivos do mundo.

P: Agora você vai fazer o papel de Tonto em "The Lone Ranger"...

R: O mais importante, com Tonto, é o fato de que há mais de 60 anos os índios vêm sendo tratados como cidadãos de segunda ou terceira classe em Hollywood. Não tolero isso. Portanto, este Tonto vai ter que encarar isso de frente. Mas vai fazê-lo do jeito dele, um jeito muito especial e não muito óbvio.

Veja tamb�m

Carregando...

Siga UOL Cinema

Sites e Revistas

Arquivo

Hospedagem: UOL Host