O ator Shah Rukh Khan, a atriz Kajol Devgan e o diretor Karan Johar posam para foto em pré-estreia de "My Name Is Khan", no 60º Festival de Berlim

O ator Shah Rukh Khan, a atriz Kajol Devgan e o diretor Karan Johar posam para foto em pré-estreia de "My Name Is Khan", no 60º Festival de Berlim

26/12/2011 - 12h26

Bollywood redescobriu heróis em 2011

<a href=http://noticias.uol.com.br/ultnot/reuters/><img src=http://n.i.uol.com.br/ultnot/home/reuters.gif border=0></a>
Shilpa Jamkhandikar

Bollywood descobriu ouro em 2011, revigorando bilheterias sem brilho na Índia com a ajuda de seus protagonistas, que atraíram o público de volta aos cinemas depois de um morno 2010.

A arrecadação nas bilheterias indianas atingiu os 19,5 bilhões de rúpias (363,2 milhões de dólares) este ano, em comparação aos 14,5 bilhões de rúpias de 2010, e inéditos quatro filmes cruzaram a fronteira do bilhão de rúpias. O ator Salman Khan estrelou dois destes sucessos de bilheteria.

O desempenho sólido foi um enorme contraste com o ano passado, quando quase não houve sucessos.

"O público e os cineastas redescobriram histórias que são próximas às nossas raízes indianas", disse Sanjeev Lamba, executivo-chefe da Reliance Entertainment, que produziu dois dos maiores blockbusters do ano - "Bodyguard" e "Singham".

"Bodyguard", em que Khan interpreta o segurança da filha de um ricaço e acaba se apaixonando por ela, foi o filme de maior sucesso em Bollywood, arrecadando mais de 1,5 bilhão de rúpias (28 milhões de dólares) nas bilheterias domésticas.

"Singham" conta a história de um policial de direita que enfrenta um político corrupto, e a trama é acompanhada de romance, drama e ação.

Os dois filmes tiveram críticas ruins, mas foram bem recebidos pelo público. E ambos trazem personagens centrais fortes, remontando à Bollywood dos anos 1980 e 1990, quando os filmes eram centralizados no herói, e em como ele derrotava um vilão, em uma luta do bem versus mal.

"O público sempre gostou dos dilemas do herói, de um pouco de ação, algum drama e algum romance", disse Lamba. "Tivemos muito disso este ano".

Outros temas também tiveram sucesso. Filmes como "The Diry Picture", baseado na vida de uma estrela pornô, atraíram o público e surpreenderam os analistas da indústria. Junto com filmes como "Singham" e "Bodyguard", essas produções menores mostraram que o público indiano tem apetite tanto para o mercado de massa quanto para o trabalho orientado a determinado nicho.

"Não quer dizer que mais pessoas estão assistindo a filmes, mas que as mesmas pessoas estão assistindo a mais filmes", disse Shailesh Kapoor da Ormax Media, uma empresa especializada na pesquisa do mercado cinematográfico.

Mas filmes muito divulgados, como o de super-herói "Ra.One", foram uma decepção. Apesar da alta publicidade, o filme do ator Shah Rukh Khan não atendeu às expectativas, obtendo 1,2 bilhão de rúpias (22 milhões de dólares) nas bilheterias. Isso foi pouco acima de seu orçamento oficial, de 1 bilhão de rúpias.