Filmes e séries

Com clima favorável, Los Angeles está pronta para festa do Globo de Ouro

12/01/2014 12h35

Los Angeles (EUA), 12 jan (EFE).- Está tudo pronto em Los Angeles para a realização, neste domingo, da 71ª edição da cerimônia de entrega dos prêmios Globo de Ouro, que será realizada no hotel Beverly Hilton, onde o tapete vermelho já está estendido à espera da chegada de algumas das maiores estrelas de Hollywood.

O bom tempo predomina desta vez, bem diferente do frio que obrigou os organizadores, no ano passado, a instalar toldos pela primeira vez na história do evento. Portanto, as celebridades poderão brilhar com seus looks para as câmeras sem se preocupar com a meteorologia.

A Associação da Imprensa Estrangeira de Hollywood (HFPA), entidade que organiza e escolhe os vencedores dos prêmios, anunciou a presença de nomes ilustres como Leonardo DiCaprio, Tom Hanks, Robert Downey Jr, Emma Thompson, Jim Carrey, Sandra Bullock, Matt Damon, Ben Affleck, Liam Neeson, Naomi Watts, Kevin Bacon e Uma Thurman, que serão os apresentadores.

Também estarão presentes celebridades como Jennifer Lawrence, Jessica Chastain, Olivia Wilde, Margot Robbie, Emma Watson, Chris Pine, Mila Kunis, Chris Evans, Amber Heard, Orlando Bloom, Paula Patton, Jonah Hill, Zoe Saldaña, Emilia Clarke, Chris Hemsworth, Channing Tatum e Emma Stone, entre outros.

Esta última será a responsável por entregar o prêmio Cecil B. De Mille a Woody Allen em reconhecimento a sua carreira, um momento ao qual se unirá Diane Keaton, sua ex-mulher, amiga íntima e musa.

Tudo indica que Allen não vai receber pessoalmente a estatueta, mas os produtores da cerimônia deixaram a dúvida no ar nas últimas horas.

Por sua vez, Hemsworth estará acompanhado pelo ex-piloto de Fórmula 1 Niki Lauda para apresentar "Rush: No Limite da Emoção", enquanto Laura Dern apresentará "Nebraska", filme protagonizado por seu pai, Bruce Dern.

A cerimônia começará às 17h (23h de Brasília) e terá como mestres de cerimônia as humoristas Tina Fey e Amy Poehler, encarregadas pelo segundo ano consecutivo de apimentar o evento.

O duelo entre o drama sobre a escravidão "12 Anos de Escravidão" e a tragicomédia "Trapaça", ambas com 7 candidaturas, são os destaques desta edição do Globo de Ouro, onde "Minha Vida com Liberace" e "House of Cards", com 4 indicações, como favoritas entre séries de TV.

O premio de melhor filme dramático é disputado por "12 Anos de Escravidão", "Gravidade", "Capitão Phillips", "Philomena" e "Rush: No Limite da Emoção" - sendo claras favoritas as duas primeiras -, enquanto o de melhor comédia ou musical, uma luta mais aberta, estará entre "Trapaça", "Inside Llewyn Davis - Balada de Um Homem Comum", "O Lobo de Wall Street", "Ela" e "Nebraska".

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

do UOL
do UOL
UOL Cinema - Imagens
Cinema
do UOL
AFP
do UOL
Reuters
AFP
do UOL
Reuters
do UOL
Reuters
do UOL
BBC
do UOL
Chico Barney
do UOL
do UOL
UOL Cinema - Imagens
UOL Entretenimento
Cinema
do UOL
AFP
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
AFP
do UOL
Cinema
Roberto Sadovski
do UOL
do UOL
Chico Barney
UOL Cinema - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Roberto Sadovski

Roberto Sadovski

As 25 melhores histórias em quadrinhos da Liga da Justiça

Pincelar as melhores histórias da Liga da Justiça é um trabalho complexo. Não pela falta de qualidade, mas pelo contraste: muita coisa entre os primórdios da equipe e o final dos anos 80 tem mais valor por sua inegável importância histórica do que por seus predicados artísticos. O gibi da Liga, afinal, viveu por anos na sombra da animação Superamigos, e isso deixou o tom das histórias mais ingênuo e infantil até a reformulação pós-Crise nas Infinitas Terras. Mas garimpar todas as fases em décadas de aventuras trouxe boas surpresas e ótimas descobertas - além do perceber que, em boas, mãos, a Liga pode ser incrível! A leitura rendeu algumas conclusões. Primeiro, não há absolutamente nada errado em usar histórias de super-heróis para fazer humor! Segundo, o horrendo período dos Novos 52, que privilegiou forma, ignorou substância e fez um flashback sinistro dos primórdios da Image Comics nos anos 90 (urgh), não foi tão cruel com a Liga. Terceiro, pouca gente escreve e entende os herói tão bem quanto Grant Morrisson e Mark Waid. No mais, a Liga da Justiça, em usas diversas encarnações, ainda é aposta certeira quando o assunto é entretenimento - afinal, só uma equipe criativa muito canhestra poderia melar uma mistura de personagens e personalidades e superpoderes tão diversa e tão bacana! Acredite, se os super-heróis mais lendários do mundo sobreviveram a Extreme Justice, nada é capaz de derrotá-los!

Topo