PUBLICIDADE
Topo

Após polêmica sobre Hitler, Von Trier ironiza Festival de Cannes em Berlim

Estefani Medeiros

Do UOL, em Berlim

09/02/2014 12h38Atualizada em 09/02/2014 16h55

Quando o assunto é polêmica, não há limites para Lars Von Trier. O diretor apareceu no Festival de Berlim, neste domingo (9), vestindo uma camiseta com o símbolo do Festival de Cannes, da França, e a frase: "persona non grata". O cineasta ganhou o rótulo após declarar no evento francês, em 2011, que sentia empatia por Adolf Hitler.

Há dois anos, quando lançava "Melancolia" em Cannes, ele foi questionado sobre sua ascendência alemã. Na ocasião,  Von Trier disse que entendia Hitler, afirmando que era "nazista". A organização do festival francês pediu que ele voltasse atrás em seus comentários e o baniu do evento, declarando-o "persona non grata".

Agora, em Berlim, ele promove o filme "Ninfomaníaca". A primeira parte do longa, que já estreou no Brasil, foi exibida no festival com seis cenas adicionais, focando em detalhar os dramas da personagem principal Joe (Charlotte Gainsbourg). A exibição arrancou aplausos e risadas da plateia, mas quem espera pelas prometidas cenas de sexo tórridas e transgressoras terá que esperar pela segunda parte.

A previsão é de que a segunda parte de "Ninfomaníaca" faça sua estreia em Cannes em maio, informação ainda não confirmada --nem negada-- pela equipe do evento. "A segunda parte é mais devagar, vai mais no coração do tema que Lars escolheu, é mais explícito", adiantou a produtora Louise Vesth, sem revelar maiores detalhes.

Encontro com o elenco
Von Trier apareceu em Berlim apenas para mostrar a camiseta na sessão de fotos, mas não compareceu à coletiva para responder as perguntas dos jornalistas. Ele publicou uma justificativa em sua página no Twitter, dizendo: "Perdi o evento para a imprensa na Berlinale. Mas continuo me perguntando em quem acreditar: Dylan ou Wood?", fazendo menção ao caso de suposto abuso de Woody Allen a sua filha Dylan Farrow.

Outro destaque durante a promoção de "Ninfomaníaca" no Festival de Berlim foi o ator norte-americano Shia La Beuof, um dos protagonistas do filme, que apareceu de barba por fazer, boné e mascando chiclete. Questionado por suas cenas de sexo no longa, ele apenas recitou um trecho de uma frase já usada pelo jogador de futebol e ator francês Eric Cantona: "Quando as gaivotas seguem a traineira é porque pensam que as sardinhas serão jogadas ao mar". Após dizer a frase, ele se levantou e deixou a coletiva. A declaração de Cantona ficou famosa após sua prisão e condenação a 120 horas de serviço comunitário por causa de uma agressão durante um jogo contra o time de futebol inglês Crystal Palace em 1995.

Shia LaBeouf abandona coletiva de "Ninfomaníaca" em Berlim

Respondendo a mesma pergunta sobre as cenas de sexo, a atriz estreante Stacy Martin, que interpreta a personagem principal na adolescência, explicou que tinha muito mais com o que se preocupar, já que é sua estreia no cinema, e elogiou a condução do diretor para sua atuação. "O Lars cria grandes conversas, diálogos sobre assuntos que nem sempre nos sentimos confortáveis para falar."

Christian Slater, que interpreta o pai da protagonista, também comentou o trabalho do diretor. "Nunca estive em um filme em que o diretor está tanto no comando de cada departamento. Ele tem uma grande alma e um coração terno", disse. Para Uma Thurman, Von Trier a ajudou em seu monólogo com bastante treino. "Lars continuava me dizendo que eu estava atuando mais que o necessário, mas isso não é nada novo. Nós ficávamos fazendo essa passagem de 25 minutos o dia todo. Foi uma vivência, refrescante, quase como atuar no teatro."

Vídeo de "Ninfomaníaca" tem Uma Thurman