Filmes e séries

Cinema nacional se apaixona por mulheres em crise em cinco novos filmes

Divulgação
Marjorie Estiano (Beatriz) e Sergio Guizé (Marcelo) de "Beatriz", de Alberto Graça Imagem: Divulgação

Silvana Arantes

Do UOL, em São Paulo

30/10/2014 05h00

Elas não estão (apenas) à beira de um ataque de nervos. As crises que as mulheres enfrentam na nova safra de filmes brasileiros são bem mais complexas do que um simples chilique - envolvem depressão, dependência química, tentativas de suicídio, traições realizadas com o objetivo de preservar o amor. 

Algum homem é capaz de entender as razões de comportamentos assim? A resposta é variável, de acordo com a visão de cinco diferentes cineastas. Os longas-metragens recém-concluídos desses diretores refazem a eterna indagação masculina sobre “o que quer uma mulher?” contando histórias em que eles se sentem atordoados diante dos problemas (ou das soluções) delas. 
 
É assim com Eduardo (João Miguel), que convive com a depressão e as ideias suicidas de Julia (Marina Person), com quem é casado e tem dois filhos em “Voltando para Casa”, de Gustavo Rosa de Moura. 
 
Para interpretar a protagonista, a ex-VJ Marina Person procurou fazer um trabalho que não deixasse o espectador se lembrar da “Marina da MTV”. Até porque, “na TV eu sempre fui muito eu mesma”, diz ela. O interessante de um papel como o de Julia, afirma Marina, foi “poder explorar os muitos lados da personalidade de alguém que está em equilíbrio, mas pode se desequilibrar a qualquer momento”. 
 
Divulgação
Marina Person e João Miguel em cena de "Voltando para Casa" Imagem: Divulgação
 
Desequilíbrio é o tom dominante na trajetória de Joli (Bianca Joy Porte) em “Prometo um Dia Deixar essa Cidade”, que deu o prêmio de melhor atriz a Bianca no Festival do Rio. 
 
Neste segundo longa do pernambucano Daniel Aragão, a jovem e rica Joli deixa uma clínica de reabilitação e volta para a casa do pai, interpretado por Zécarlos Machado (o Theo, de “Sessão de Terapia”), no momento em que ele tenta se candidatar à Prefeitura do Recife. 
 
Joli se vê envolvida nas artimanhas de uma política de exploração da miséria e tratos corruptos. A desconfiança do pai e do namorado (Sérgio Marone) sobre sua recuperação acentuam nela a sensação de inadequação e isolamento. A trama se encaminha para um final trágico.
 
“Vivi tudo o que eu tinha de viver para me preparar para esse filme”, diz Bianca, para quem “não há como um ator não se apaixonar” por um papel como o de Joli, “que envolve um desafio gigante de transitar por muitas camadas emocionais”. 
 
Nascida em Paris e criada no Rio de Janeiro, Bianca viveu durante meses no Recife, preparando-se para o papel. Todo o processo de ensaio e filmagens “foi duro, mas foi bom”, avalia a atriz, que atribui ao filme a qualidade de “falar ao mesmo tempo do micro e do macro, do regional e do universal, olhar muito para dentro e para fora”. 
 
O potencial de comunicação desses longas com plateias estrangeiras passa por um teste nesta semana, quando estão sendo realizadas em São Paulo sessões exclusivas para o diretor da seção Fórum do Novo Cinema do Festival de Berlim, Chirstoph Terhetche. A partir de informações preliminares sobre a nova safra nacional, Terhetche selecionou 12 longas inéditos em circuito comercial para assistir aqui. A 65ª edição do Festival de Berlim ocorre entre 5 e 15 de fevereiro de 2015. 
 
 
Se Terhetche se encantar por “Beatriz”, ele levará a Berlim um filme no qual o diretor Alberto Graça (“O Dia da Caça”) quis falar sobre o amor pela perspectiva do “erotismo como esse desafio que nos amedronta e nos fascina a vida toda” e discutir a questão “da liberdade e do prazer da mulher”. 
 
Na trama, a advogada Beatriz (Marjorie Estiano) se muda para Lisboa com o marido, Marcelo (Sergio Guizé), um escritor em fase de bloqueio criativo. Quando ele volta a produzir, usa a história do casal como fonte para o novo livro. Instigada, Beatriz passa a buscar experiências menos rotineiras e mais inusitadas.    
 
O cineasta diz que foi “um golpe de sorte” encontrar Marjorie para viver a protagonista. “Ela consegue um tom cotidiano nas falas poéticas, com um tempo próprio, e isso dá uma dimensão ao texto que eu raramente vi em atrizes brasileiras”, afirma Graça.
 
Também estão entre os filmes que o curador alemão quis ver no Brasil “Para minha Amada Morta”, de Aly Muritiba, e “Real Beleza”, de Jorge Furtado. No primeiro, Mayana Neiva é a evangélica Raquel, casada com Paulo (Fernando Alves Pinto), que descobre casualmente um surpreendente aspecto da personalidade da mulher, ao remexer em suas coisas, após a sua morte.
 
Em “Real Beleza”, o casal Adriana Esteves e Vladimir Brichta vive um triângulo amoroso que tem Francisco Cuoco como terceiro vértice. Anita (Adriana Esteves) é casada com Pedro (Francisco Cuoco) e mãe de Maria (Vitória Strada). O fotógrafo João (Vladimir Brichta) caça talentos no Rio Grande do Sul. Certo de que Maria é o novo rosto de modelo que ele estava buscando, conhece os pais dela _e se apaixona pela mãe. 
 
Não precisa ser um astro da adivinhação para saber que João será correspondido e que o romance dos dois tem todas as condições para ser complicado e nada perfeitinho.
 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

UOL Cinema - Imagens
do UOL
do UOL
EFE
do UOL
Colunas - Flavio Ricco
do UOL
do UOL
Da Redação
do UOL
do UOL
Cinema
do UOL
do UOL
do UOL
EFE
do UOL
do UOL
Reuters
Roberto Sadovski
do UOL
Cinema
EFE
do UOL
UOL Jogos
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Colunas - Flavio Ricco
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
Cinema
do UOL
do UOL
Roberto Sadovski
UOL Entretenimento
do UOL
UOL Jogos
Cinema
EFE
do UOL
UOL Cinema - Imagens
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
do UOL
Topo