Filmes e séries

"É uma besteira", diz Jon Krakauer sobre filme "inspirado" em seu livro

Brennan Linsley/AP
O jornalista Jon Krakauer, autor dos livros "Na Natureza Selvagem" e "No Ar Rarefeito" Imagem: Brennan Linsley/AP

Do UOL, em São Paulo

25/09/2015 20h13

Embora tratem da mesma história, o livro “No Ar Rarefeito” e o filme “Evereste”, que chegou aos cinemas brasileiros na última quinta-feira, 24, têm diferenças importantes. Pelo menos é essa a opinião de um dos personagens da história.

Jon Krakauer, autor de “No Ar Rarefeito” e um dos sobreviventes do desastre retratado pelo filme, compareceu recentemente a uma sessão de “Evereste” e deu o seu veredito ao jornal L.A. Times: “É uma besteira completa”, disse. “Qualquer um que vá ver o filme e queira conhecer uma história baseada em fatos vai precisar ler o livro”, completou.

Krakauer, que é autor de seis outros livros – incluindo “Na Natureza Selvagem”, que também foi adaptado para o cinema em 2007 – não gostou de uma cena que o mostra (interpretado pelo ator Michael Kelly) se recusando a ajudar em uma tentativa de resgate. "Eu nunca tive essa conversa", disse Krakauer ao jornal, mencionando também que Kelly, ator de House of Cards, nunca o procurou para falar da história.

Resposta

O diretor Baltasar Kormákur já havia dito, em uma entrevista ao site Entertainment Weekly, que foram usadas gravações inéditas de conversas entre os alpinistas e o acampamento base para a criação do roteiro.

Em relação a Krakauer, Kormákur disse: "Para ser honesto, eu não estava interessado em contar uma história sobre um escritor em uma montanha. Eu vi um monte de filmes sobre escritores. Seu livro é um relato em primeira pessoa e há um monte de coisas que ele acha ou pensa que não aconteceram. Esta é a história de um grupo de pessoas que vão até esta montanha e eu queria ser fiel a isso”, disse.

Tragédia e polêmica

O filme narra os acontecimentos dos dias 10 e 11 de maio de 1996, quando dois grupos de alpinistas fizeram uma excursão ao topo do Monte Everest, o pico mais alto do mundo, com 8.848 metros de altitude.

Naquela tarde, uma forte nevasca fez com que oito pessoas, entre guias, auxiliares e esportistas de maior ou menor experiência, morressem na tentativa de alcançar o topo da montanha, que fica na Cordilheira do Himalaia, na fronteira entre a China e o Nepal.

Na época da publicação do livro, há 18 anos, o próprio Krakauer foi criticado sobre o que seria a verdadeira versão dos acontecimentos daqueles fatídicos dois dias de 1996.

O alpinista russo Anatoli Boukreev escreveu um livro chamado “A Escalada”, publicado em 1997, contradizendo a versão de Krakauer. Entenda aqui a polêmica entre eles.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
do UOL
Roberto Sadovski
do UOL
do UOL
do UOL
ANSA
do UOL
Roberto Sadovski
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
AFP
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Cinema - Imagens
do UOL
Roberto Sadovski
do UOL
do UOL
UOL Cinema - Imagens
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
AFP
Roberto Sadovski
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
EFE
do UOL
UOL Cinema - Imagens
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Cinema
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Topo