Topo

Festival de Cannes


Filme sueco leva Palma de Ouro em Cannes; Kidman recebe prêmio especial

Do UOL, em São Paulo

28/05/2017 15h12

Em uma premiação bem distribuída, o Festival de Cannes anunciou neste domingo (28) os vencedores da sua 70ª edição. A Palma de Ouro, prêmio máximo, ficou com "The Square", do sueco Ruben Ostlund, vencedor do Prêmio do Júri em Cannes em 2014 por "Força Maior". O longa foca em um diretor de museu que prepara uma grande exposição, e é estrelado por Dominic West e Elizabeth Moss.

A atriz Nicole Kidman, que tinha quatro produções no festival --“The Killing of a Sacred Deer” e "O Estranho que Nós Amamos”, em competição, e “How to Talk to Girls at Parties”, de John Cameron Mitchell, e a série de TV “Top of the Lake: China Girl”, de Jane Campion, em mostras paralelas-- foi agraciada com um prêmio especial pelos 70 anos do evento.

O Grande Prêmio do júri ficou com o drama "120 Battements par Minute", do francês Robin Campillo, diretor de "Meninos do Oriente", que trata do dia a dia da associação Act Up no início dos anos 1990 para sensibilizar a sociedade sobre a epidemia da Aids.

O júri desta edição foi presidido pelo cineasta espanhol Pedro Almodóvar e também participaram os atores Will Smith, Jessica Chastain, Fan Bingbing, os cineastas Agnès Jaoui, Maren Ade, Park Chan-Wook e Paolo Sorrentino e o compositor Gabriel Yard.

A alemã Dianke Kruger levou o prêmio de atriz por "In the Fade", do germano-turco Fatih Akin, diretor de "Contra a Parede". Nesta história de vingança no seio da comunidade turca, a atriz dá vida a uma mulher que perdeu o marido e o filho em um atentado neonazista.

Já o prêmio de atuação masculina ficou com Joaquin Phoenix, que figurava entre os favoritos por "You Were Never Really Here", da britânica Lynne Ramsay, diretora de "Precisamos Falar sobre Kevin". Na trama, Phoenix é um violento veterano de guerra que tenta resgatar jovens envolvidas em uma rede de prostituição.

Sofia Coppola foi premiada pela direção de "O Estranho que Nós Amamos", estrelado por Nicole Kidman e Colin Farrell, uma adaptação de um romance de Thomas Cullinan que já foi levada ao cinema em 1971, com Clint Eastwood no papel principal. A história se passa em plena Guerra da Secessão, quando a vida em um internato feminino se vê alterada com a chegada de um soldado ferido.

Houve empate no prêmio de roteiro, que foi dividido entre os gregos Yorgos Lanthimos e Efthimis Filippou, por "The Killing of a Sacred Deer", e a britânica Lynne Ramnsay, por "You Were Never Really Here".

Veja a lista de premiados:

Palma de Ouro
"The Square", de Ruben Ostlund

Grande Prêmio
"120 Battements par Minute", de Robin Campillo

Prêmio do 70º Aniversário
Nicole Kidman

Diretor
Sofia Coppola, por "O Estranho que Nós Amamos"

Ator
Joaquin Phoenix, por "You Were Never Really Here"

Atriz
Diane Kruger, por "In the Fade"

Prêmio do júri
"Loveless", de Andrey Zvyagintsev

Roteiro
Yorgos Lanthimos e Efthimis Filippou, por "The Killing of a Sacred Deer"
Lynne Ramnsay, por "You Were Never Really Here"

Câmera de Ouro
“Jeune femme”, de Léonor Serraille

Palma de Ouro - curta-metragem
"Xiao Cheng Er Yue”, de Yang Qiu

Menção honrosa - curta-metragem
“Katto”, de Teppo Airaksinen

Oeil d'Or Prêmio de Documentário
“Faces Places”, de Agnès Varda

Prêmio Ecumênico do Júri
“Radiance”, Naomi Kawase

Festival de Cannes