Topo

Filmes e séries


Investigado por assédio, Casey Affleck pode quebrar tradição no Oscar 2018

Frazer Harrison/Getty Images
Casey Affleck, escolhido melhor ator no Oscar 2017 por "Manchester À Beira-Mar", exibe sua estatueta dourada Imagem: Frazer Harrison/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

2017-11-01T16:45:59

01/11/2017 16h45

O cineasta Cameron Bossert lançou uma petição para que a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas "desconvide" o ator Casey Affleck para o Oscar 2018. Atualmente, a solicitação já tem mais de 12.600 assinaturas.

Caso o irmão de Ben Affleck realmente não vá à cerimônia, a tradição de que o vencedor da estatueta dourada de melhor ator/atriz entregue o prêmio para o novo premiado será quebrada. Casey ganhou o Oscar em fevereiro deste ano pelo seu papel no filme "Manchester à Beira-Mar".

"À luz das revelações que Harvey Weinstein tem assediado e abusado sexualmente de mulheres há décadas, a Academia recentemente decidiu excluir Harvey como membro [da organização] -- mas você sabia que outro acusado de assédio está escalado para participar da cerimônia de 2018?", escreveu Bossert em seu site.

Veja também

Affleck enfrenta casos de assédio sexual na justiça por duas mulheres que trabalharam com ele no "documentário fake" "Eu Ainda Estou Aqui", que ele dirigiu e escreveu.

Uma das alegações é que Affleck chamava as mulheres de "vacas" durante as filmagens e ainda pediu para uma pessoa da equipe se expor em uma brincadeira.

Já a diretora de fotografia Magdalena Gorka afirmou que Affleck brincou que ela deveria transar com um dos assistentes de câmera e que um dia ela acordou na cama com o ator ao lado dela usando camiseta e cueca.

Casey Affleck negou veementemente todas as acusações e os casos seguem em segredo de justiça. 

"Com tantas acusações impressionantes contra ele, a Academia deveria tomar uma atitude e rescindir o privilégio deste ano", acrescenta o idealizador da petição.