PUBLICIDADE
Topo

Figurinista de novo "Batman" já prepara o visual de "Liga da Justiça"

Roberto Sadovski

Do UOL, em São Paulo

06/12/2015 07h00

Reinventar a Mulher-Maravilha, que surge interpretada por Gal Gadot em "Batman vs. Superman: A Origem da Justiça", fez parte da preparação do figurinista Michael Wilkinson para "Liga da Justiça", filme que vai reunir os heróis da DC (Superman, Batman, Aquaman, Cyborg e a guerreira amazona, entre outros) sob um mesmo teto. 

“Cada personagem tem um histórico diferente, e os trajes refletem isso”, conta o figurinista. “A Mulher-Maravilha vem de uma cultura militar, isolada. Aquaman surge da civilização atlante, que tem sua própria história, é bacana ajudar a definir quem eles são com o que eles vestem.”

Ainda assim, ele desconversa na hora de dar mais detalhes sobre o filme, que, assim como "Batman vs. Superman", também será dirigido por Zack Snyder: “Muitos personagens serão desenvolvidos a partir de 'Liga da Justiça', mas ainda é cedo para falar sobre eles”.

O foco, claro, é o longa que coloca Bruce Wayne e Clark Kent cara a cara, que chega aos cinemas em março de 2016, motivo para a visita de Wilkinson ao Brasil, com direito a participação na Comic Con Experience (CCXP) neste domingo (6).

Comentando algumas das questões que teve que considerar ao pensar os trajes do filme, ele conta: “O Batman precisava enxergar quem poderia atacá-lo por trás!”. O problema, aparentemente banal, foi a primeira preocupação que Snyder levou a Wilkinson quando eles iniciaram o trabalho em “Batman vs Superman”.

“Zack queria um traje que possibilitasse liberdade total de movimentos a Ben (Affleck, que interpreta o herói)”, continua Wilkinson. “Historicamente, o traje dos filmes limitava essa intenção. Mas resolvemos sem maiores problemas. Ele pode olhar para trás.”

Michael Wilkinson, que trabalhou com o diretor em “300”, “Watchmen” e “Sucker Punch”, além de ter redesenhado o visual do Superman em “O Homem de Aço”, de 2013, conta que recriar a estética de heróis tão icônicos é um “desafio com benefícios”.

“O ponto de partida, que são os quadrinhos, está em nossas mãos”, explica. “E Zack foi muito específico com o que ele queria, mais precisamente, no caso do Batman, um retorno ao visual clássico dos gibis”.

Na prática, a armadura de combate mostrada recentemente nos cinemas na trilogia “O Cavaleiro das Trevas”, de Christopher Nolan, deu lugar a um traje negro e cinza, inspirado no visual bolado por Frank Miller para a série “The Dark Knight Returns”, que em 1986 redefiniu o papel das histórias em quadrinhos na cultura pop.

“Criar uma roupa de super-herói hoje é um processo facilitado pela tecnologia”, continua o figurinista. “Fazemos um scan do corpo do ator, construímos um manequim e esculpimos em cima dele, além de usar ferramentas digitais para auxiliar no design”.

Assim, o que vemos em cena é uma roupa de verdade, que Ben Affleck vestia em 10 minutos. “Algumas sequências têm um ou outro truque digital”, explica. “Mas Zack queria uma roupa que fosse basicamente de verdade.”

De verdade e, também, ameaçadora. Se o uniforme do Superman vestido por Henry Cavill experimentou uma leve evolução (“As linhas do traje estão mais dinâmicas”), a roupa do Homem-Morcego tinha como objetivo não só aumentar a musculatura desenvolvida por Ben Affleck para o filme, como também não podia parecer saída de uma linha de montagem, e sim surrada pelo tempo e pelo uso.

“Batman não é um novato no universo do filme”, diz Wilkinson. “A orientação de Zack era uma roupa com marcas de faca, buracos de bala, enrugada e endurecida pelo tempo. Batman tinha de parecer ameaçador, maior e mais musculoso que o Superman”.

O filme também coloca o Bruce Wayne de Affleck em uma armadura de combate quando ele precisa enfrentar no braço o último filho de Krypton. “O traje também foi construído, usamos efeitos digitais só quando necessário”, ressalta o figurinista.

“A idéia era fazer uma roupa de combate que fosse realista –ao menos tão realista quanto um filme de super-heróis pode ser. Mas não é como o Homem de Ferro, ela tem peso”, diz.

O único porém continua sendo os olhos do Batman: pintados de preto quando ele usa o capuz, para nublar onde termina a roupa e começa o homem, eles surgem limpos quando o Superman arranca sua máscara, sequência que está no novo trailer. “Tim Burton fez o mesmo em 'Batman - O Retorno', quando Michael Keaton tira a máscara no final”, conclui Wilkinson. “É a hora em que temos de apelar para a magia do cinema e simplesmente acreditar.”

Assista ao trailer do filme

UOL Entretenimento