PUBLICIDADE
Topo

Novo filme de Jeff Bridges mira em fãs de "Jogos Vorazes" e "Divergente"

Natalia Engler

Do UOL, em San Diego (EUA)

24/07/2014 18h36

Com a ausência de "Jogos Vorazes" e "Divergente" na Comic-Con 2014, o público jovem teve que se contentar com o que pode se tornar uma nova franquia: "O Doador de Memórias" - "The Giver", no original -, filme baseado no sucesso infantojuvenil "O Doador" (1993), de Lois Lowry.

Jeff Bridges, que produz e interpreta o personagem-título, contou que está envolvido com o projeto de adaptar o livro há quase 20 anos. "Na verdade eu queria dirigir o meu pai, e queria dirigi-lo num filme para os meus filhos, que eram crianças. Eles estão na casa dos 30 agora". Jeff é filho de Lloyd Bridges, que morreu em 1998, e era conhecido por papéis na televisão americana e que também atuou na comédia "Apertem os Cintos o Piloto Sumiu".

"O Doador de Memória" também traz Meryl Streep no elenco, com quem Bridges nunca havia trabalhado. "Sempre nos encontrávamos levando nossos filhos para jogar futebol, mas nunca tínhamos contracenado", contou ele sobre a colega, que não participou do painel na Comic-Con.

O livro e o filme retratam uma sociedade utópica do futuro que conseguiu eliminar o sofrimento, as desigualdades e os conflitos. Mas, para isso, todo tipo de emoções e até mesmo as artes também foram banidas. Cada indivíduo tem um papel determinado, e um deles é responsável por guardar as memórias do passado antes da "estabilidade", para ajudar na tomada de decisões.

Cena de "The Giver" ("O Doador de Memórias"), com Brenton Thwaites e Odeya Rush - Divulgação/The Weinstein Company - Divulgação/The Weinstein Company
Imagem: Divulgação/The Weinstein Company

Um garoto, Jonas (Brenton Thwaites), é incumbido de ser o próximo guardião, e começa a receber o conhecimento do Doador (Bridges). Conforme vai descobrindo tudo de que sua comunidade foi privada, Jonas terá que decidir se deixa tudo como está ou tenta espalhar esse conhecimento.

As primeiras cenas exibidas para os fãs na Comic-Con mostram o início dessa jornada de Jonas, com o filme começando em preto e branco e ganhando cores conforme o personagem vai descobrindo os segredos do passado.

Brenton Thwaites, que interpretou o príncipe Philip em "Malévola", é o Jonas do cinema, e conta que se identificou com a jornada do personagem. "Eu li o roteiro antes do livro. Mas o que me fez conectar com a história foi a jornada de Jonas. Ele vive coisas intensas e isso o faz aprender a confiar em si mesmo".

Lançada em 1993, a obra vendeu mais de dez milhões de cópias nos Estados Unidos, Austrália e Canadá, e foi seguida mais tarde por outros três livros, que não são exatamente sequências, mas se passam no mesmo universo que o primeiro. Questionada sobre a possibilidade de sequências, Lowry disse que já aconteceram conversas, mas tudo depende de como o público vai receber o filme.