Topo

Filmes e séries


Apresentador americano Matt Lauer é demitido por assédio sexual

Dimitrios Kambouris/Getty Images
Matt Lauer foi acusado de assédio sexual Imagem: Dimitrios Kambouris/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

2017-11-29T10:40:27

29/11/2017 10h40

Um dos apresentadores mais famosos da TV americana, Matt Lauer foi demitido pela emissora NBC após ser acusado de assédio sexual. 

A demissão foi comunicada ao vivo no programa "Today", que era apresentado por ele há 20 anos, desde 1997. "Na noite de segunda-feira, recebemos uma denúncia detalhada de uma colega sobre uma atitude sexual inapropriada de Matt Lauer no ambiente de trabalho. Ela representa, após uma séria análise, uma clara violação dos padrões da empresa", disse a emissora em um comunicado lido pela apresentadora Savannah Guthrie.

Veja mais

O presidente da NBC News, Andrew Lack, também se pronunciou por meio de um comunicado. "Decidimos encerrar seu trabalho. Apesar de essa ser a primeira reclamação a respeito do comportamento dele nos mais de 20 anos que ele passou na NBC News, nós temos motivos para acreditar que este pode não ser um incidente isolado". 

Escândalos em Hollywood

Vários nomes poderosos da cinema e da TV nos Estados Unidos vêm sendo alvos de acusações desde que uma reportagem publicada pelo "The New York Times" no início de outubro revelou que o produtor Harvey Weinstein assediou mulheres durante décadas. Dias depois, a revista "New Yorker" publicou sua própria reportagem sobre o tema -- dessa vez, com acusações de estupro.

Com o passar dos dias, o número de denúncias explodiu. Nomes de peso da indústria, como Angelina Jolie, Gwyneth Paltrow, Mira Sorvino e Rosanna Arquette também acusaram o magnata. Weinstein, que ao lado do irmão Bob construiu uma fábrica de sucessos de bilheteria, com 80 premiações do Oscar e mais de 300 indicações, deixou o seu cargo na empresa que fundou e foi expulso do Sindicato dos Produtores e da Academia.

A repercussão do caso fez com que várias outras famosas relatassem suas experiências: Reese Whiterspoon, por exemplo, contou que foi abusada por um diretor quando tinha apenas 16 anos, e Jennifer Lawrence revelou que foi colocada nua em uma fila com outras atrizes e chamada de "comível" por um produtor.

38 mulheres também denunciaram o cineasta James Toback, indicado ao Oscar pelo filme "Bugsy", em uma reportagem do jornal "Los Angeles Times". Depois da publicação, o número de acusações subiu para cerca de 300.