PUBLICIDADE
Topo

Ed Westick, o Chuck de "Gossip Girl", é acusado de estupro por atriz

Ed Westwick foi acusado de estupro - Deividi Correa/AgNews
Ed Westwick foi acusado de estupro Imagem: Deividi Correa/AgNews

Do UOL, em São Paulo

07/11/2017 11h00

Ed Westwick, mais conhecido como o Chuck de “Gossip Girl”, se juntou ao grupo de atores e cineastas de Hollywood acusados de assédio e abuso sexual. Na última segunda-feira (6), a atriz Kristina Cohen publicou um texto em seu Facebook afirmando ter sido estuprada pelo ator.

“Ele me segurou e me estuprou”, escreveu Cohen sobre o incidente, que teria ocorrido há três anos no apartamento de Westwick.

Veja mais

Cohen, 27, é a primeira pessoa a acusar publicamente o ator, que atualmente está no ar na série “White Gold”, da BBC.

No relato, bem detalhado, a atriz conta que, à época do crime, estava namorando um produtor que era amigo de Westwick. “Foi este produtor que me levou à casa de Ed, onde conheci Ed pela primeira vez. Eu quis ir embora quando Ed sugeriu que ‘nós todos deveríamos trepar’. Mas o produtor não queria ir embora e deixar Ed se sentindo mal. Ed insistiu que ficássemos para o jantar. Eu disse que estava cansada e queria ir, tentando sair do que já era uma situação desconfortável. Ed sugeriu que eu tirasse uma soneca no quarto de hóspedes. O produtor disse que ficaríamos só mais 20 minutos para atenuar o clima, e depois poderíamos ir embora”.

 

“Então eu fui e deitei no quarto, onde caí no sono”, continuou. “Eu acordei abruptamente com Ed em cima de mim, seus dedos entrando no meu corpo. Eu pedi para ele parar, mas ele era forte. Eu lutei o tanto quanto podia, mas ele agarrou o meu rosto com as mãos, me balançando e dizendo que queria me comer. Eu fiquei paralisada, aterrorizada. Não conseguia falar, não conseguia mais me mover. Ele me segurou e me estuprou.”

Após o abuso, ela descreveu seus dias como “um pesadelo” e disse que foi culpada pelo namorado. “O produtor pôs a culpa em mim, dizendo que eu fui uma participante ativa. Ele me disse que eu não podia falar nada porque Ed ia mandar pessoas irem atrás de mim para me destruir, e que eu podia esquecer minha carreira de atriz. Ele dizia que de jeito nenhum eu podia falar que Ed me estuprou e que eu não queria ser ‘aquela garota’. E por muito tempo, eu acreditei nele. Eu não queria ser ‘aquela garota’.”

Cohen afirmou que ainda lida com o sentimento de culpa, três anos após o incidente. “Mesmo agora, eu luto com o sentimento de culpa, com a preocupação infundada de que eu, de alguma forma, fui culpada. Eu não sei de onde esses sentimentos vêm. Do condicionamento social de que sempre é culpa da mulher? De que a falta de capacidade de um homem de se manter longe do nosso corpo é culpa nossa, e não dele?”

A atriz ainda escreveu que se incomoda ao ver Ed e outros homens acusados de abuso sendo reconhecidos por seus feitos. “Me enoja ver homens como Ed sendo respeitados tão publicamente. Entrevistados por plataformas de prestígio como a Oxford Union Society da Universidade de Oxford, onde ele foi homenageado como uma das ‘Pessoas que Moldam o Mundo’. Como isso acaba? Homens como Ed usam fama e poder para estuprar e intimidar, mas continuam sendo aclamados pelo mundo”.

Ao fim do texto, Cohen disse esperar que sua história "ajude a reiniciar e realinhar os ambientes tóxicos e as disparidades de poder que criaram esses monstros". 

Escândalo em Hollywood

Ed Westwick se soma a vários outros nomes poderosos que vêm sendo alvos de acusações desde que uma reportagem publicada pelo "The New York Times" no início de outubro revelou que Harvey Weinstein assediou mulheres durante décadas. Dias depois, a revista "New Yorker" publicou sua própria reportagem sobre o tema -- dessa vez, com acusações de estupro contra o poderoso produtor.

Com o passar dos dias, o número de denúncias explodiu. Nomes de peso da indústria, como Angelina Jolie, Gwyneth Paltrow, Mira Sorvino e Rosanna Arquette também acusaram o magnata. Weinstein, que ao lado do irmão Bob construiu uma fábrica de sucessos de bilheteria, com 80 premiações do Oscar e mais de 300 indicações, deixou o seu cargo na empresa que fundou e foi expulso do Sindicato dos Produtores e da Academia.

A repercussão do caso fez com que várias outras famosas relatassem suas experiências: Reese Whiterspoon, por exemplo, contou que foi abusada por um diretor quando tinha apenas 16 anos, e Jennifer Lawrence revelou que foi colocada nua em uma fila com outras atrizes e chamada de "comível" por um produtor.

38 mulheres também denunciaram o cineasta James Toback, indicado ao Oscar pelo filme "Bugsy", em uma reportagem do jornal "Los Angeles Times". Depois da publicação, o número de acusações já subiu para cerca de 300.

O ator Kevin Spacey foi o mais recente acusado, depois que o ator Anthony Rapp, da série "Star Trek: Discovery", revelou que Spacey tentou forçá-lo a fazer sexo quando tinha 14 anos. O ator mexicano Roberto Cavazos também relatou em suas redes sociais que foi alvo de investidas sexuais de Spacey quando trabalharam juntos no teatro Old Vic, em Londres, no começo dos anos 2010.