Filmes e séries

"É a música que dá o tom", diz produtor de "O Iluminado" na Mostra

Mariane Zendron

Do UOL, em São Paulo

18/10/2013 21h01

Os espectadores da primeira sessão do filme "O Iluminado" na Mostra de São Paulo, nesta sexta (18), foram surpreendidos com a presença de Jan Harlan, produtor executivo de Stanley Kubrick e cunhado do cineasta. A exibição aconteceu no Cinesesc, na rua Augusta,

"Acho estranho falar sobre o filme porque ele deve falar por si só. Mas o que posso dizer é que os primeiros minutos são muito importantes e Kubrick planejava o começo do longa com muito cuidado. Você pode pensar que se trata de um filme da 'National Geographic' sobre uma montanha, mas é a música que dá o tom".

Contando com a ajuda de um tradutor, Harlan ainda brincou com a plateia e disse que seu português é inexistente. "Vocês vão ver que o personagem principal está se candidatando para um trabalho que ele sempre teve. Não se esqueçam: esse é um filme de terror", concluiu o produtor sob muitos aplausos do público.

A sessão do terror de Kubrick estava cheia e com público variado. A estudante de artes cênicas Rhaissa Rosa de Jesus Cardoso, de 20 anos, assistiu ao filme pela primeira vez. Antes da sessão, ela contou que quando morava nos Estados Unidos, chegou a alugar o livro de Stephen King (que inspirou o filme) no colégio, mas ficou com medo e desistiu da leitura.

Fã dos outros filmes do cineasta, Rhaissa decidiu dar mais uma chance para a trama. Ao final da sessão, a estudante disse que gostou muito do filme, mas que era difícil dizer mais porque ainda estava anestesiada. "Nossa, fiquei tensa. E o que é aquele menininho? Muito bom. E o Nicholson está incrível", disse ela.

Na plateia ainda havia a espectadora que teve a oportunidade de ver o filme na sua estreia na Califórnia, em 1980. Dora Soares mora nos Estados Unidos e disse que se lembra da reação da plateia quando viu a produção pela primeira vez. "A plateia era intensa. Estou no Brasil para visitar minha família e não podia perder a oportunidade de rever o filme".

O cineasta Rafael Gomes já viu a produção muitas vezes, mas nunca na telona. "Todo filme é construído com a imagem, mas nesse a imagem é o filme e ele ganha muito na tela grande. Todo sentido dele está na imagem, a loucura, o labirinto. Nunca tive essa oportunidade e achei demais. Quero ver todos os filmes do Kubrick na Mostra".

O filme ainda terá mais três sessões na Mostra de SP. Confira:

Dia 19/10
23:20 - Cine Sabesp

Dia 20/10
21:30 - Espaço Itaú de Cinema - Pompeia 1

Dia 22/10
21:00 - Cinemark - Shopping Cidade Jardim 6

$!$render-component.split('/')[$math.sub($render-component.split('/').size(), 1)]

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Estadão Conteúdo
do UOL
UOL Cinema - Imagens
do UOL
UOL Cinema - Imagens
redetv
redetv
do UOL
AFP
do UOL
do UOL
Reuters
Reuters
do UOL
UOL Cinema - Imagens
do UOL
do UOL
redetv
do UOL
EFE
do UOL
do UOL
do UOL
Cinebiografia a caminho
Reuters
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
do UOL
Chico Barney
Roberto Sadovski
redetv
redetv
do UOL
EFE
EFE
do UOL
do UOL
Cinema
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
EFE
EFE
Colunas - Flavio Ricco
Topo